Intercâmbio Brasil e Japão

Professor André Fernandes ao lado da atleta Maria Augusta

Manifesto pelo Esporte do Brasil
23/06/18 - A comissão formada por membros do Consulado do Japão no Brasil, do Ministério do Esporte, do Comitê Olímpico do Brasil, da Confederação Brasileira de Judô e do Instituto Kodokan do Brasil definiu, a partir de critérios estabelecidos em edital, os sete professores brasileiros de judô que vão participar da segunda turma do Intercâmbio Brasil-Japão 2018. 

Os aprovados no processo seletivo passarão quatro semanas na Universidade de Tsukuba, no Japão, uma das mais instituições conceituadas do mundo no ensino da modalidade. 

O presidente da CBJ (Confederação Brasileira de Judô), Silvio Acácio, explicou que foi realizado processo de seleção, através de edital, com 70 candidatos inscritos. Destes, apenas sete foram contemplados com a vaga para participar da segunda turma do intercâmbio na Universidade de Tsukuba, no Japão. Os professores vão propagar o conhecimento adquirido ao retornar.

Professores aprovados no processo seletivo

Manifesto pelo Esporte do Brasil
Na imagem, da esquerda para a direita, sensei Roberto Mitio Harada, representante do instituto Kodokan do Brasil; Hisayoshi Muto, representante da Embaixada do Japão; Sílvio Acácio Borges, presidente da CBJ; Rogério Sampaio, gestor do COB; Robnelson Ferreira, gestor executivo; Marcelo Theotônio, gestor das categorias de Base e Matheus Theotônio, gestor nacional de Eventos.

André Fernandes Chaves Filho (Minas Gerais); Emerson Soares (Rio Grande do Norte); Érico Vinícius Souza Matos Velloso (Bahia); Expedito de Melo Rosa Falcão Filho (Piauí); Marcos Rogério Marcelino de Souza (São Paulo); Miguel Augusto Kuse (Rio Grande do Sul) e Rodrigo Bardasson da Rocha (Rio de Janeiro) são os professores aprovados.

Após a análise dos documentos enviados por todos os candidatos, os aprovados foram definidos em reunião na sede da CBJ com presença do presidente Silvio Acácio Borges; do gestor executivo Robnelson Ferreira; do gestor das categorias de Base, Marcelo Theotônio; do gestor nacional de Eventos, Matheus Theotônio; de Rogério Sampaio, diretor geral do COB; Hisayoshi Muto, primeiro secretário e chefe do departamento de Cultura e Imprensa da Embaixada do Japão no Brasil; Elisa Celino, assessora cultural da Embaixada do Japão no Brasil; e de Roberto Mitio Harada, diretor secretário do Instituto Kodokan do Brasil.

"O importante era que tivéssemos uma forma de seleção transparente e, então, conseguimos construir esse processo transparente. Era importante também a participação do Instituo Kodokan e da CBJ, que tem o conhecimento desses profissionais em todo o território nacional", pontuou Rogério Sampaio.

"A nossa ideia é que os professores possam replicar esse conhecimento não apenas em sua rede de ensino, mas também nos polos do Avança Judô, projeto social da CBJ que atende a mais de 2.500 crianças e adolescentes de 7 a 16 anos, em 16 estados brasileiros. Com isso, acreditamos que conseguiremos alcançar o propósito do intercâmbio, que é trocar e difundir o conhecimento", completou Robnelson Ferreira. 

O programa de Intercâmbio Brasil-Japão

O programa oferece sete vagas para professores brasileiros de judô no curso de aprimoramento técnico-didático na conceituada Universidade de Tsukuba, no Japão. As aulas terão duração de quatro semanas, de 15 de setembro a 14 de outubro deste ano.

Essa será a segunda turma de brasileiros no programa. Em 2017, os professores Uichiro Umakakeba, Joseph Guilherme, Ademir Shultz Júnior, Raphael Luiz Silva, Renato Yoshio Ikegawa, Leonardo Lara e Rafael Borges integraram a primeira turma que viajou a Tsukuba para participar do "Discovery Camp: Tomorrow's Friends Programme." 

A partir de pesquisas desenvolvidas por meio da Universidade de Tsukuba e do Instituo Kodokan, os profissionais voltaram do Japão com a missão de propor uma adequação no modelo observado na grade curricular brasileira e apresentar uma proposta curricular para aulas do Caminho Suave nas escolas públicas.