Assembleia aprova contas CBJ 2017

Assembleia da CBJ aprova contas e relatórios do exercício de 2017

Assembleia Geral Ordinária da CBJ
23/03/18 - A Confederação Brasileira de Judô realizou nos dias 15 e 16 de março a Assembleia Geral Ordinária reunindo, no Rio de Janeiro, os presidentes das Federações Estaduais de Judô filiadas à CBJ, além dos membros do Conselho Fiscal e gestores da Confederação. 

A reunião foi conduzida pelo presidente Silvio Acácio Borges ao lado dos vice-presidentes José Nilson Gama, Seloí Totti e Danys Queiroz. 

No primeiro dia, foram apresentadas e aprovadas as contas e o parecer do Conselho Fiscal referentes ao exercício de 2017, além de relatórios técnicos e administrativos do mesmo ano. 


Gestores e prestadores de serviço da CBJ apresentam realizações

No segundo dia do encontro, os gestores e prestadores de serviço da CBJ apresentaram aos presidentes o trabalho realizado por seus respectivos departamentos, detalhando atribuições e objetivos de cada área. O gestor executivo Robnelson Ferreira abriu as falas, seguido pelo advogado Luciano Hostings, responsável por assessorar juridicamente a CBJ. Na sequência, falaram Renato Araújo (gestor financeiro), Ney Wilson (gestor de Alto Rendimento), Marcelo Theotônio (gestor das Categorias de Base), Matheus Theotônio (gestor de Eventos Nacionais), Manoela Penna, sócia-diretora da agência In Press Media Guide, que presta serviços de assessoria de imprensa e comunicação à CBJ, e Maurício Santos, sócio-diretor da WH Sports, empresa que presta serviços na área de Marketing à CBJ. 

"Vejo, hoje, todos os presidentes com mais afinco aos novos rumos da CBJ, principalmente, no que diz respeito à união do grupo, respaldando, desta forma, a gestão prestes a completar seu primeiro ano", avaliou o presidente Silvio Acácio Broges, que completará um ano liderando a CBJ no próximo dia 31 de março. 

Presidentes apontam avanços do primeiro ano de gestão

Na opinião de grande parte dos presidentes de Federações Estaduais, o primeiro ano da gestão do professor Silvio Acácio trouxe diversos avanços para o judô brasileiro, além de conseguir manter o legado de excelência deixado pela gestão Paulo Wanderley.

"Entre os avanços, destaco a transparência, a inclusão de segmentos da sociedade, de atletas nas decisões administrativas e de legislação democrática, além de conseguir manter o padrão de excelência nos eventos nacionais", pontuou Josmar Amaral, presidente da Federação Goiana de Judô (FEGOJU). 

"A realização do I Encontro Nacional de Kodanshas e Lideranças e a nova formação do Conselho Nacional de Graus com a participação de representantes de todas as regiões do país também foram um marco desse primeiro ano da gestão do presidente Silvio", lembrou Tibério Maribondo, presidente da Federação de Judô do Estado do Rio Grande do Norte (FJERN).

"O primeiro ano se traduz com um período de transição de uma gestão anterior e incremento e expectativas da gestão que se inicia. A atual gestão teve mérito em manter o nível de gestão anterior (administrativamente e tecnicamente) e ainda de relembrar a história dos Kodanshas do Brasil", ressaltou o presidente da Federação Paraibana de Judô, Adjailson Coutinho. 

"A CBJ está mais próxima das Federações", pontuou Jucinei Costa, presidente da Federação de Judô do Estado do Rio de Janeiro (FJERJ). 

Para o presidente Nédio Henrique Pereira, da Federação Mineira de Judô, os principais avanços foram nas "questões estatutárias voltadas para ações de governança."